Diário de Viagem: Canadá

 Todas as honras já foram feitas, para quem não se lembra, tá aqui:http://pensamentoireis.blogspot.com.br/2012/07/diario-de-viagem-canada.html
Brasil-Guarulhos/Avião
O Aeroporto de Guarulhos é provavelmente um dos lugares mais engraçados de São Paulo. Melhor que muito standup que tem por aí. Meu voo é pro Canadá, então, só na minha fila tem gente falando inglês, francês e português. Check-in feito, hora do lanche pré-voo. A gente parou pra comer no Bar & Bistrô On The Rocks - meio carinho, mas bom. Pedi o básico: pão de queijo e Coca bem gelada. Passamos pela Polícia Federal sem nenhum problema e passamos pelo FreeShop. Eu tava procurando um chiclete, qualquer chiclete. Até um mísero Trident ia me deixar feliz. Não achei. Uma coisa beeem interessante que eu achei foi um pacotão com 30 pacotinhos de Kit Kat. A gente acabou não comprando nada, e passamos para a área de embarque. Graças aos Céus, minha mãe tinha Kit Kat na bolsa (valeu, mãe!). Beleza, área de embarque. Sessão people-stare: além de gente falando inglês e francês, aqui tem espanhóis, alemães e coreanos - ou japoneses, ou chineses, não sei mesmo. Na minha frente tava sentada uma senhorinha com mais ou menos 50 anos. Miudinha, encolhida, comendo um sanduíche. Ela tinha três sacolas. Para onde quer que fosse, levava as sacolas. Não sei porque, mas fissurei nela. Ela vestia uma camisa rosa bebe, calça jeans e Oxford marronzinho. Uma gracinha. Problema número 1: me colocaram longe da minha mãe no avião. "Ah, você já tem idade pra viajar longe da sua mãe!". NÃO, eu não tenho. Morro de medo de avião e essa é a primeira viagem internacional que eu faço. Conversa aqui, conversa lá, não me colocaram perto da minha mãe. "A senhora pode tentar conversar com um passageiro, se não resolver, nós conversaremos" - disse o aeromoço. E lá fomos falar com o passageiro. O cara usava uma blusa verde e calça jeans, e estava sentado na ponta (eram três cadeiras). "Olá, o senhor está viajando sozinho?". "Sim, sim". "O senhor se importaria em trocar de lugar com a minha filha?". Ele olhou com cara de nojo e perguntou: "No meio?!". A minha mãe ficou tipo "Hum, é". E ele não trocou. BITCH. Ainda bem que era o passageiro errado. O senhor que realmente estava sentado perto da minha mãe não teve nenhum problema para trocar de lugar comigo. Consegui sentar. Antes de jantar, quis saber que filmes estavam disponíveis na TVzinha individual. Comecei com A Dama e o Vagabundo, depois mudei para O Lorax. Hora do jantar. "Beef or chicken?" - acabei pegando carne, que aliás era muito boa. Depois do jantar, mais filmes. Comecei a ver O Diabo Veste Prada e eu já tava no meio quando olhei para o lado e vi um cara assistindo Jogos Vorazes. Pirei. Procurei e achei o filme. Pretendo assistir e depois dormir.
Avião/Canadá-Toronto
Dormir? HA! Boa piada. Não consegui dormir nada. Além de estar num troço gigante no meio do céu, meu irmão não parou de me chutar a noite inteira - ele dormiu. Eu até tentei dormir, mas não consegui. Resolvi checar no mapa aonde estávamos, descobri que o avião passava pela América Central. Hora do filme. De novo. Coloquei Espelho, Espelho Meu. E não é que o filme é super legal? Depois passei para Gato de Botas e até consegui tirar uma soneca. Quando eu finalmente consegui dormir, ascenderam as luzes. "Good morning, sorry. If we could, we'd let you sleep longer". E lá veio o café da manha: "Pancake or omelet?". Pedi panquecas. Terminei de comer, e o avião pousou. Assim que você coloca o pé no aeroporto, se sente num outro mundo. Tudo limpo, cheiroso e organizado. Beeem canadense. Nenhum lixo no chão, tudo extremamente organizado. Nenhum problema com a Polícia, nem pra pegar a bagagem. Saímos do aeroporto e pegamos uma limousine (chique, bem). Duas coisas que eu percebi no caminho pra casa dos meus padrinhos: as ruas são super arborizadas e não tem nenhum mendigo. Chegamos. O que é essa casa? Parece que saiu de um filme. Entrando na casa, se vê as salas de estar e a de jantar. Andando à esquerda fica a cozinha e seguindo mais está o escritório. De volta à sala, encontramos duas escadas: uma sobe, a outra desce. No andar de cima há três quartos (uma suíte), mais um escritório e um banheiro. O porão (basement) é uma sala enorme com muitos sofás e uma TV enorme, além da lavanderia e um banheiro. Ah, já ia me esquecer do quintal. Lá tem churrasqueira e mesinha com cadeiras, além de um espaço verde com árvores e tals. OK, chegamos. A mesa de jantar estava posta com um café da manha liiindo (e muito bom). Como não dormi nada no avião, dormi depois do café e acordei só na hora do almoço. Depois de almoçar, fomos para o shopping aberto bem pertinho da casa. São várias lojas (tipo shopping), só que ficam na rua. Ah, antes de sair a gente organizou um tour pra semana que vem. No shopping, fomos até a sorveteria Ice n'Cake - muito boa, e depois pra uma loja tipo perfumaria, no maior estilo OBoticário. Lá tinha uma promoção: leve 5 hand gels, por 5 dólares, sendo que normalmente 5 dólares só daria para 3. Não resisti. Depois do shopping, fomos à Shoppers, uma mega loja que vende de tudo. Lá, compramos Kit Kat, uma garrafa térmica com a bandeira do Canadá, um cartão de happy 50th anniversary e brinquedos pro meu irmão. Voltando pra casa, comi um omelete e tomei um banho daqueles. Coloquei pijama e cá estou no basement. Ah, já ia me esquecendo: lembra depois do café da manha, quando eu dormi? Então, meus padrinhos tem um cachorro, o Nino, uma gracinha. Quando eu dormi, ele deitou do meu lado e só levantou quando eu acordei. OWN *-* Ah, planos para amanha: viagem de duas horas pra uma cidade praiana. Não lembro o nome agora. A gente vai ficar lá três noites, num hotel e pá. Eu, minha mãe, meu irmão e meus avós. Meus tios vão continuar por aqui mesmo por causa do trabalho e tals.
Canadá-Toronto/Wasaga Beach
Acordei, ou melhor, fui acordada às 9 horas. Tomei café da manha e até lavei a louça depois - clap,clap. Depois fui arrumar a mala da minha mala pra ir para Wasaga Beach - a tal cidade praiana. Foi praticamente impossível descer aquela mala, mas consegui. Uns 20 minutos depois o motorista que meu padrinho contratou pra levar a gente chegou. Bora pegar duas horas de estrada. Metade do caminho feito, e minha mãe quis parar. A loja mais perto era o KFC (Kentucky Fried Chicken), como o nome sugere, lá vende frango frito. Lá, eu aproveitei pra experimentar 7Up, que é um refrigerante tipo Soda, só que melhor. De volta à estrada, fiquei ouvindo Demi Lovato até chegarmos. Chegamos por volta das 2 e meia. O nosso hotel se chamava Angels Inn, e ficava na avenidona principal. Viagem longa de carro + horário de almoço= todo mundo estava morrendo de fome. Assim que deixamos as malas no quarto fomos descobrir o que tinha de comida. Logo na frente do hotel tinha um restaurante, um tal de Big Chris BBQ. Na hora eu pensei "Oba, churrasco!". Jesus, aquilo não era churrasco. Pelo menos não o churrasco que a gente está acostumado. A comida era ENORME, sério, muito grande. Só pra ter uma noção: sabe a costela que tem no Outback? Esse era o tamanho dos sanduíches. A garçonete era suuper simpática e, como sabia que éramos turistas, sugeriu poutine, um prato típico de lá. Pelo amor de Deus, o que era aquele troço? É batata frita com um molho gororobento por cima. Dica de amiga: não prove. Depois da experiencia #fail do almoço, voltamos ao Angels. Meus avós dormiram, eu arrumei minhas coisas e minha mãe e irmão assistiram  TV. Mais ou menos uma hora depois minha avó acordou e resolveu conhecer a tal praia, depois, é claro, que as turistonas arranjaram um mapa. A primeira coisa que eu pensei quando vi a praia foi: "Isso não é uma praia.". Acontece que, nós, brasileiros, estamos acostumados com praias lotadas, com carrinhos de água de coco e milho verde, com tiozinhos de sorvete e, principalmente, com mar. A tal "praia", é a beira de um lago, ou seja, tem lama. Muita lama. Imagina a minha frustração. Agora, o que eu simplesmente amei foi o fato de que, na frente da praia, ao invés de prédios, eles tem lojinhas! Roupas de verão, óculos escuros, biquínis, e coisas assim. Calma, o melhor ainda está pro vir: além de lojinhas, tem lanchonetes! Sorvete, pizza, raspadinha...e tudo isso com a vista linda do lago! Aliás, a raspadinha lá se chama slushy. Sim, gleeks, eu tomei slushy! É muuuito bom! Claro, deve ser horrível levar aquilo na cara, mas o sabor é incrível! As adolescentes de lá, na maioria, parecem ter saído de fotos do we<3it. Lindas assim. As que não são fofas assim, são escandalosas e parecem que saíram de um episódio de Jersey Shore. Depois que eu comprei um óculos escuro decente, voltamos pro Angels. O caminho de volta é fácil: atravessa a ponte, continua andando, anda mais um pouquinho, chegou. Enquanto a gente atravessava a ponte, dois caras passaram de lancha no rio. Óbvio que a turistona aqui quis tirar foto. O segundo cara me viu e fez a maior pose: "Hey, now you can take the picture!". Todo mundo riu. Continuamos o caminho e surgiu um bando de meninos. Aliás, todo mundo nessa cidade anda em bandos. Impressionante. Enfim, passou um bando de meninos, adolescentes mesmo, um deles me olhou e soltou um "Hiiii!". Eu não me aguentei de rir. Tadinho, nem vi ele direito. Continuamos, de novo, o caminho. Dessa vez, sem interrupções. Depois que chegamos, tomei um banho daqueles e fui assistir um pouco de TV. Depois, acabei dormindo. 
Canadá - Wasaga Beach
De novo fui acordada cedo demais. 9:00 eu já estava tomando café. Aliás, o café-da-manha desse hotel é uma nhaquinha. Só tem cereal, leite, torrada e café. Enfim, tomando esse cafezinho, conhecemos uma mulher Iugoslava. É, a mulher era Iugoslava. Eu fiquei me achando o máximo por ter conseguido manter uma conversa com ela (Santo inglês!). Bom, como o breakfast do hotel era precário, fomos conhecer o pub do outro lado da rua, que tinha café da manha todo dia #piramos. Meu Deus, o que era aquele café? Dois ovos, quatro torradas, batata frita e presunto, salsicha ou bacon. Óbvio que eu pedi bacon. Amei. Sério, era muito bom. O pub era meio irlandês, então tinha um bando de cerveja pra todo lado (lembrei do Niall, haha). Geeente: sabe qual é a melhor parte de viajar pra um país em que ninguém fala o seu idioma? Você pode falar português à vontade sem uma pessoa entender. É o máximo! Saindo de lá, fomos até o Wal-Mart. Eu esperava um Wal-Mart igual aos que tem em sampa. Não é. Aqui, eles são demais. Tem roupas, CDs, filmes, brinquedos, comida, celulares, tranquerias, souvenirs e um McDonald´s dentro. É, tinha um McDonald´s dentro. Gastei mais ou menos $40. Se liga nas compras super necessárias: vestido de praia; o DVD de A Fera; o DVD da primeira temporada de Mike&Moly; adesivinhos da Disney; um estojo de Glee. Pegamos um táxi pra não termos que andar as três longas quadras até o Angels. HA, eu sei, somos super preguiçosos. Entao, quando a gente chegou eu fui arrumar todas as minhas comprinhas. Depois da arrumação, booora pra piscina. E que piscina! Água boa, limpa, climatizada e sem lama. Além do sol excelente. Sim, leitores, eu peguei uma cor no Canadá. HAHA. Pois bem, lá estava eu, tomando um sol em Wasaga Beach, me achando o máximo, quando escuto as temidas palavras vindas do iPod de uma menina que, até aquele momento, eu achava que tinha bom gosto: Ai, seu eu te pego. Sim, esse insulto à música brasileira chegou ao país que eu julgava ter gosto musical melhor. E a história não acaba aí, não. Além da voz do Michel Teló estar saindo do iPod, a música que tocava era um remix. REMIX. Só música considerada decente tem o direito de ser remixada. E lá estava eu, ouvindo aquele troço em uma nova versão - pior do que a primeira, se isso é possível. Você acha que acabou? Não, não acabou. Além do novo gosto musical duvidoso, a mina que estava ouvindo aquilo não sabia o que significava uma palavra que o cara dizia. Pior: ela não sabia o idioma que o cara falava. "I think its some kind of Spanish". É, ela achava que era espanhol. Tenso né? Bem, depois que isso aí acabou ela voltou a ouvir música boa, Ed Sheeran. Depois de passar o fim de tarde (sem por do sol, só às 10) tomando o melhor sol ever, saímos para uma lojinha de conveniência. Missão: comprar o kit de sobrevivência para a noite. (Pepsi, água, 7Up, chocolate, pizza congelada). O meu avo ficou no Angels pra preparar um churras pros famintos. Lá na loja tinham duas meninas do tipo "acabei de gravar Jersey Shore". Elas estavam de bikini, salto e sainha. Sim, salto alto na praia. Vai entender. Além de comprar o kit, compramos um sorvete enorme pro meu irmão. Além dele ter feito a maior lambança do universo, deixou cair o sorvete no chão. Boa! Voltamos para o Angels. A criança aqui ficou brincando de fazer bolinha de sabão com o fazedor de bolhinha super avançado que a gente comprou no Wal-Mart. Era pro meu irmão. Depois, a gente aproveitou o churras. Passa tempo, tempo passa, o "hi guy" - sim, aquele que me disse "Hiiii!" ontem - surgiu. Ele e o seu bando passaram na frente do Angels e, Graças à Deus, ele não me viu. Era capaz dele soltar um "Heeeello!" dessa vez. Aliás, enquanto o bando dele passava, eu me toquei de uma coisa. Sabe aquele negócio de que os canadenses são super phynos, educados e silenciosos? Então, o verão é a maça (ou melhor, a melancia) podre dessa imagem. Os adultos continuam phynos, mas os adolescentes - pelo menos, os dessa cidade - meu Deus. Passam pela rua buzinando (pode dirigir aos 16), gritando, cantando (mal pra caramba), chamando uns aos outros aos berros. Sabe filme americano de verão? Mostra 100% a realidade. Sem adultos responsáveis por perto, o verão norte-americano é só party, party, yeah. Afinal, aqui, quem não vai pra acampamento de verão (Camp Rock, hello?), vai pra praia. Depois das bolhinhas, tomei banho e comi um pedaço da minha pizza congelada e fui dormir.
Canadá - Wasaga Beach/Collingwood
Hoje acordei num horário mais decente e sozinha. Então, acordei animada e descansada. Até que eu olhei pela janela. Gotas de água caindo no chão, vindas do céu. Desanimei bonito. Como podia chover no verão? É proibido chover no verão. P-R-O-I-B-I-D-O. Mas, São Pedro aparentemente não pensa desse jeito. Pra ele, tudo bem chover no meio do verão. Afinal, ele não programou um dia com direito à compras, slushy e piscina. Bom, eu acabei me conformando com a chuva, afinal, faça chuva ou faça sol, eu estava no Canadá. Lá fomos nós para o pub que serve o lindo do café da manhã. Hoje aquele lugar tava uma lotação (sábado, dãã). Sério, tinha até um grupo de amigas fazendo o aquecimento de uma despedida de solteira. Enfim, demorou um século para sermos atendidos. Mas beleza, a comida boa compensa. Lá estava eu, comendo, quando de repente eu olho pela janela e BAM! A chuva tinha parado! A felicidade foi restaurada no universo. Como não caía mais água do céu, a gente foi ao Wal-Mart. Procurei tranquerias pra trazer aqui, mas não achei nada muito bom (e era tudo caro). Só comprei uma coisa: a parte de cima de um bíquini, só que é tipo blusa (igual ao que a Sharpay usa em HSM2, só que com bolinhas). Voltamos para o hotel, e TCHARAM: meu padrinho chegou! Ele foi nosso guia turístico. Mal chegou, já voltou para o carro. "Vocês precisam conhecer Collingwood". Então, Collingwood é a cidade que tem o ponto de esqui mais perto de Toronto, que se chama Blue Mountain. Ela não é tão cheia como Wasaga, por causa de $$$. Aliás, Collingwood está cheia de casinhas alugadas, afinal, tendo casa lá, você curte verão e inverno (perto de Wasaga e de Blue Mountain). Chegamos lá depois de meia hora de carro. Liiiiinda. Essa é a melhor palavra para descrever Blue Mountain. No inverno, esse lugar deve ser ainda mais lindo. Lá é como se fosse uma vilazinha: tem várias lojas, restaurantes, um hotel, um complexo aquático... Uma gracinha. Fome bateu e fomos almoçar. O nome do restaurante era C&A - ironia level 10938. A gente foi atendido por um garçom que tinha o pai brasileiro, então, a gente não podia sair falando mal dele em português. Anyway, pedi hambúrguer e batatinhas. Todo mundo devidamente alimento, voltamos para o centro da vilazinha. Lá tinha uma mega fonte/chafariz para crianças brincarem - meu irmão pirou. Enquanto ele pulava alegremente, nós fizemos turnos para ver as lojinhas. Eu e minha mãe fomos procurar uma toalha para quando o pequeno saísse da água. "Bom, em algum lugar aqui deve ter uma toalha" - pensamos. Aí, procuramos de um lado, procuramos do outro, e nada. Não tinham toalhas em Blue Mountain. Uma coisa bem legal que eu achei foi uma moça vendendo pipoca. Mas nada de toalha. Aí eu pensei: "O complexo aquático!". Aquele lugar era a 1000km de distância do centro da vila. Mas, lá fomos nós. Lá tinha um tipo de loja de coisas de piscina - lugar perfeito para se vender toalhas, não? Entramos lá e TCHARAM: uma prateleira de toalhas branquinhas, dobradinhas, bonitinhas. Logo minha mãe perguntou quanto era a toalha. A mulher respondeu, suuuuper simpática: "Those towels are not for sale". Nem "sorry" a mulher falou. Aposto que era americana. Bom, voltamos para a vila - sem toalha. O coitado do meu irmão acabou tendo que se enrolar na roupa mesmo, ou seja, ficou ensopado e secou no sol mesmo. Com ele parcialmente seco, meu padrinho foi nos mostrar o hotel da Blue Mountain. Meu God do Céu, o que era aquele hotel? Super lindo, com um mooonte de coisas pra fazer: sala de jogos, piscina, sauna... Depois do tourzinho, a gente foi numa lojinha que só vendia doces, principalmente chocolate. Comemos maçã doce. Quando a gente saiu da loja, tinha um palco montado e uma banda instrumental se apresentando. O líder era um cara loiro muito louco que tava tocando violino \m/. Pra fugir um pouco do barulho super alto, fomos experimentar o que é provavelmente um dos (se não for o) único doce bem típico do Canadá: Beaver Tail. Sim, rabo de castor. Não, amantes de animais, não é o verdadeiro rabo do bicho. É só uma massa com o formato do rabo do castor, que você pode rechear do que modo que preferir. Como é enorme, dividi um de Nutella com meu padrinho. Mano, é muito bom. Não sei se é por causa da Nutella, mas eu amei. Depois de passar o dia inteiro indo pra lá e pra cá, meus avós se cansaram. E, além do mais, era hora do remédio. Antes de irmos de vez, a gente parou no Starbucks. Aquelas bem turistas mesmo. Resolvi experimentar o Frappuccino. OMG, é muuuuuuuuuuuuito bom. Serião, tá no top5 melhores bebidas. Enfim, voltamos para o carro e partimos para Wasaga. Todo mundo chegou super mega acabado, então cada um foi para seu quarto. Depois de tomar banho, esquentei minha pizza congelada de pepperoni (Santo Wal-Mart) e fiquei assistindo Toopy & Binoo (de novo) com meu irmão, até pegar no sono. Até que foi rapidinho. Nem precisei de música
Canadá - Wasaga/Springwater/Toronto
Olha! Eu acordei cedo! De novo. Hoje é dia de check-out. Depois de passarmos rapidinho na praia, fomos procurar um lugar mais light para tomar café da manhã. Paramos numa cidadezinha-meio-do-caminho, que se chamava Springwater. O pub se chamava Steelers e tinha opções no menu bem menos calóricas que o irlandês. Mas, óbvio que tinha também aquele breakfast enoorme. Pedi uma tal de torrada francesa. É diferente da torrada normal, mas eu não sei o que tem de especial. Deve ser leite, ou alguma coisa assim. Só sei que é muito boa. Obviamente, as torradas vinham com batatinhas. Ok, breakfast tomado. De volta ao caminho de Toronto. Estrada vai, estrada vem, chegamos. Logo na entrada da cidade fica o Ontario Science Centre (Centro de Ciências de Ontário). Minha avó pirou. E lá fomos nós. É um prédio de vidro mega moderno com um zilhão de coisas diferentes. Assim que você entra, encontra a linha do tempo dos períodos geológicos da Terra com pedras de exemplo. O maior destaque do Centro era a exposição temporária sobre circo. Eu ainda não entendi o que isso tem a ver com Ciências, mas beleza. Nessa parte de circo, tinha um joguinho onde você adivinha, pelo cocô, qual é o animal. Além disso, tinha um teatro de Star Trek. Bem na hora que ia começar, a gente chegou. Era uma graça: uma vulcana vem à Terra para avisar de um ataque romulano que acontecerá no futuro, e a única forma de resolver é com um piloto extremamente importante - um garotinho da platéia. Saindo do teatrinho, fomos ver o resto do Centro de Ciências. Fiquei um tempão na exposição de ilusão de ótica. A gente acabou saindo de lá umas quatro horas, por que tinha um compromisso mais tarde. Chegamos em casa, nos arrumamos e fomos para a casa de uma amiga da minha madrinha. Ela é brasileira, casada com um francês, que mora no Canadá. Jantar na casa dela é sinônimo de diversão. Estávamos no caminho quando me convenceram a comprar sorvete. Sim, senhoras e senhores, eu fiz compras no Canadá sozinha. Sem ajuda. Até que nem foi tão complicado, tenho que admitir. "Oi, eu quero meio litro de chocolate, e meio litro de limão, por favor." Depois, ele te entrega o seu pedido. Você agradece e vai embora sorrindo. Sorvete comprado, missão cumprida. Continuamos o caminho. A casa dela é uma gracinha. De fora, parece um ovo, mas de verdade, é enorme. O quintal é beem grande, tem casinhas de brinquedo, cesta de basquete, gol de futebol, um bando de árvores, e as mesas onde jantamos. Eram duas mesas: uma para as meninas, uma para os meninos. Além da gente, a amiga convidou outro casal de brasileira + francês. Essa segunda moça era uma figura. Ela começou a trabalhar como atriz bem cedo e fez um moonte de coisas, tipo abertura do Fantástico e coisas do tipo. Ela conheceu praticamente o mundo inteiro, morou na Europa e na África, sabe falar vários idiomas... mas não consegue falar "racoon", só "racune". Pois é. Tenso. Ah, parte extremamente fofa: eu vi um esquilo! De verdade, tem até vídeo. Tipo, ele ficava andando de um lado pro outro toda hora, era uma gracinha. Depois do jantar, os adultos continuaram conversando. Minha mãe e meu irmão tinham ido para o basement, e eu fui também. Ela estava vendo Sex & The City (a série, não o filme), e ele tava brincando de Lego. Quando Sex & The City acabou, ela colocou em Dirty Dancing. Eu me enrolei num cobertor e deitei. Umas duas cenas depois, eu tava dormindo. Acordei quando o vento já tinha gelado, o filme quase acabado. Subi, morrendo de frio. Hora de ir embora. Levei o cobertor. Muahaha.

Um comentário:

  1. Adorei sua viagem so q é mtooo longa entao da preguiçade ler e eun li pq fui eu q te ajudei a escrever !!! bjocas te amo priminha querida .... Agatha

    ResponderExcluir

Me tire do tédio! Anda logo! Comenta!!